segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Você é o maior responsável pelo anjo, bundão ou pelo monstro que cria: o bullying começa em casa, não na escola.



O Bulling praticado nas escolas
 começaram em casa; com os pais.

Estou sempre atenta em  tudo que diz respeito a  meus filhos, principalmente na maneira com que eles se comportam com as pessoas  e obviamente a maneira que  as pessoas os tratam.

Bulling é uma discriminação, feita por alguns cidadãos contra uma pessoa. Mas não é uma coisa simples, que se pode vencer de um dia para o outro, isso não é algo que começou de um dia para o outro também: há um histórico por trás de todo autor de bullying (agressor)  e de todo aquele que sofre a agressão. No momento em que alguém diz que você é gordo, magrelo, feio ou algo do tipo; talves vá correndo para o espelho mais próximo para confirmar, agora imagina: duas, três, dez pessoas, todos os dias, falando mal do seu aspecto, de coisas que você não tem culpa por ter, ser ou muitas vezes por não ter; creio que seria insuportável, a alto estima fica baixa, e os causadores do bulling seriam os engraçados, os descolados da turma.
 O que você faria? Se mataria?
Sim!!!! Existem crianças que se suicidam, mas não com a idéia de que a vida delas é uma droga, e, sim, de que eu vou morrer porque sou feia e tudo que eles dizem é verdade.
Apelidos como: rolha de poço , baleia, quatro olhos, vara pau entre outros e atitudes como; chutes, empurrões e puxões de cabelo, alunos esforçados que geralmente sofrem represalias por parte de seus colegas em geral não por caracteriticas fisicas, mas também intelectuais são comportamentos típicos de alunos em sala de aula, mas é algo que foi cultivado primeiramente em casa pela ausencia de atenção, cuidado educação e proteção ou pais que achavam lindo seus filhos serem os mais “espertos”, os que dominam a brincadeira ou que bate no primo, que chama os outros por rótulos. Estão criando mostrinhos.  Brincadeiras próprias da idade? Não. São atos agressivos, intencionais e repetitivos, que ocorrem sem motivação evidente e que caracterizam o fenômeno bullying e que não é nada invisível.
Na minha ótica o bullyng começou em casa; espero que saia da minha cabeça caso esteja errada, mas esse tal de bullyng não só começou em casa, como essa é uma prática constates dos pais, principalmente das mães que são as que passam a maior parte do tempo com os rebentos e por isso é a maior responsável pela formação do carater da criança.
Eu, quando mãe presente e leoa, não consigo digerir a idéia de que é imperceptivel ver que teu filho é uma criança que não trata bem os animais, manipula, que não é um bom amiguinho, irmãozinho, que não consegue se relacionar com os primos, enfim, não entra na minha cabeça uma educação dada a qualquer criança que não seja fundamentada no amor, no compartilhar dos seus brinquedos; na alegria de ver o brinquedo que seu amiguinho ganhou, no respeito com os animais, com a natureza, com os pais, aliás, não vamos mascarar a situação ou parar de fingir que não estamos vendo que estamos sendo manipulados, por crianças pré dispostas a serem grandes psicopatas.
Fingir que se deixa ser manipulado é alimentar alguém que passará a manipular outros, no mais; DÁ PARA PERCEBER QUE SEU FILHO AMANHÃ SERÁ UMA PESSOA HORROROSA, por mais que se tente tapar o sol com a peneira, como não perceber uma criança agressiva,ou muito boba, medrosa demais; tão medrosa que nem para seus pais conta sobre abusos que sofrem na escola ou entre seus amiguinhos. Também  não é normal seu filho nao se relacionar, não ter amigos, ser  alvo de gozação constantes, nao desejar estar na escola, estudar: como é possivel essas duas crianças tão diferentes não serem notadas?
 Uma: agressiva, ou gozadora, manipuladora, autoritária ou tudo junto; outra medrosa, quieta, coitadinha, sem nenhuma atitude, ou tudo junto.
Eu digo, ambas estão sofrendo bulling em casa; as consequencias são séríssimas, geralmente seus pais ja adotaram o computador e o video game como babás, e palavras do tipo: quando ele crescer aprende, ou logo mais eu ensino; correm demais atrás do dinheiro, de bens condiçoes, de interesses próprios; não tem tempo para olhar e VER o que acontece com seus filhos ou preferem não encarar a situação.
Futuramente estarão sofrendo uns nas mãos dos outros (pais e filhos), mais uma legião de bundõezinhos que crescem contra uma legião de monstrinhos, geralmente criados  a semelhança de seus pais.
Bullying é um termo inglês utilizado para designar a prática desses atos agressivos. As conseqüências são o isolamento, a queda do rendimento escolar, baixa auto-estima, depressão e pensamentos negativos de vingança e até suicídio.

No Brasil, alguns estudos revelam que o índices dos alunos estão envolvidos nesse tipo de comportamento chegam a 49%.  Isso é quase metade das nossas crianças!!
O único propósito é a humilhação da vítima e isolamento daquele que é considerado mais fraco ou diferente.
“Quem agride, quer que o seu alvo se sinta infeliz como na verdade ele é. É provável que o agressor também tenha sido humilhado um dia, descarregando no mais frágil a sua própria frustração e impotência”(Maluh Duprat).
Não é interessante responder às provocações e é exatamente isso que ele quer; Outra coisa importante é não manter segredo da ofensa, intimidando-se. Pode ser um bom momento de lidar com os próprios complexos, de superar com a ajuda da família uma situação de confronto maior que seus recursos internos”.

Bulling não é nada bom, e se você conhece alguém que sofre ou pratica isso; ajude-o, ajude-se.

por Adriana Rocha; artigo publicado na Ortigonal

4 comentários:

marciagrega disse...

Ótimo o seu artigo!
Realmente esse é um problema cujo "buraco é mais em baixo..."
Começa em casa, com os próprios pais ou irmãos. Porém, há uma boa dose de responsabilidade na própria pessoa que, de um maneira ou de outra, "se deixa" humilhar!
Acho que já faz parte da personalidade da crianças se deixar humilhar ou não!
Eu sempre fui muito reativa. Devolvia uma ofensa no ato! Nunca permiti que ninguém pisasse no meu calo hahaha!!!

Beijão

***Adriana Rocha*** disse...

Já senti medo, mas sempre fui corajosa, ensino meus filhos não serem tiranos, muito menos bobos... Eu os ensinei a serem da paz, porém, eu mesma digo para fazerem guerra se precisar...

***Adriana Rocha*** disse...

Opa, um breve (breve brevíssimo comentário do namorado).
Que bom que gostou querido...

Non Nattus Júnior disse...

Olá
Amicíssima
Adriana.

Sempre gratificante ler os temas que vc trata.Por sair do senso comum , e alargar as possibilidades de compreendemos sobre uma nova ótica.Realmente a origem do "bulling" não pode ser definida a partir do ato em si.Temos que olhar para o processo que o desencadeia.Numa sociedade aonde o tempo destinado a si ,se torna prepoderante, ao ponto que se tem negligenciado o cuidado com o outro.Olhar por indivíduo que comete o bulling, é simplificar um problema,que é da estrutura atual qua a sociedade "MODERNA" se apoia.O BULLING é cúmulo de uma sociedade que não respeita os valores mais nobres do CRISTIANISMO... A dita sociedade cristã, tem negado os principios mais humnaos deixado pelo mestre : JESUS.
Parabéns pelo alerta que nos deixa...

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons