quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Jesus nunca teve problema...

"Tendo Jesus entrado em um sábado na casa de um dos chefes dos fariseus para comer, eles o estavam observando. Achava-se diante dele um homem hidrópico. (NOTA: hidrópico é aquele que sofre de hidropisia. Que é a acumulação anormal de líquido seroso no tecido celular ou em uma cavidade do corpo, especialmente no abdome).



E Jesus, dirigindo-se aos doutores da Lei e aos fariseus, perguntou-lhes: É lícito ou não curar no sábado? Mas eles ficaram calados. Então pegando no homem, curou-o e despediu-o. Depois lhes perguntou: Qual de vós, se um filho ou um boi cair no poço, não o tirará logo, mesmo em dia de sábado? A isto não puderam responder.” (Lucas, 14. 1-6).


Mais de uma vez, O vemos comendo com doutores fariseus, publicanos, samaritanos, etc... O Mestre não recusava os convites que lhe dirigiam e mantinha, em toda parte a sua independência, sem se escravizar ao preconceito de raça, de classe ou de seita


Ao lermos essa história, poderíamos imaginar que o líder fariseu que convidou Jesus para comer na sua casa era uma pessoa amável e cordial que buscava ser amigo de Jesus. Mas Lucas nos informa que o verdadeiro objetivo daquele importante homem e de seus colegas fariseus, e especialistas na lei, era descobrir uma razão para formular uma acusação contra Jesus.


É claro que Jesus estava plenamente ciente das intenções dos fariseus, mas queria ensiná-los que o amor pelo próximo transcende a lei da observância do sábado.


É possível que os fariseus tenham colocado aquele homem ali pra montar uma armadilha para Jesus, eles estavam mesmo interessados em arrumar um problema para Jesus, toda essa perseguição a Jesus e a polêmica sobre o sábado vem se arrastando desde o capítulo 13.

Antes de curar aquele homem, Jesus faz uma interrogação que servirá de correção para todas as gerações bem como para todos os povos, sobre o fundamento legal para ser misericordioso num dia de sábado.


Ele começa perguntando se a lei proíbe. Essa é a abordagem mais importante que devemos buscar na lei. O problema era que os fariseus construíram um império de interpretações absurdas da lei sem levar em conta o que a lei verdadeiramente proíbe.


Quando Jesus começa perguntando pelo fundamento legal que proibisse uma pessoa ser misericordiosa no sábado, ninguém pode responder nada, porque não há mandamento contra o amor e a misericórdia ao contrário, os homens serão condenados por sua falta de amor e misericórdia.


Era impossível que o fariseu ou o doutor da Lei deixassem de retirar o boi ou o filho do poço, só pelo fato de guardarem o sábado. Como poderia Jesus deixar afogar-se aquele pobre hidrópico na água que lhe enchia o corpo?


Mas eles não quiseram mesmo responder, para não irem de encontro às prescrições da sua religião, que mandava "guardar" o sábado. O pior cego é o que não quer ver; assim também o pior mudo é o que não quer falar, e, o pior surdo, o que não quer ouvir.


Ver, ouvir e falar são os melhores meios de relação com o mundo exterior, para o desenvolvimento da razão, da inteligência, da consciência e progresso do espírito. Quando o homem chega a escravizar essas faculdades aos interesses de seita, ao preconceito e à mercancia, degrada-se ao ponto de só poder elevar-se depois pelo sofrimento.



Ter olhos e não querer ver; ter ouvidos e não querer ouvir; ter boca e não querer falar; haverá miséria mais degradante, perversidade mais nojenta?


Ao ler esta passagem fica em mim a impressão de que a cura desse homem gravemente enfermo foi para Jesus a coisa mais simples do mundo. E foi! Ele não teve que fazer nenhum esforço. A hidropisia era mais uma daquelas enfermidades visível. A maioria dos milagres de Jesus foi de enfermidades visíveis; era necessário que todos vissem e fossem testemunhas do poder do Filho de Deus.


Jesus não curou dores nem doenças invisíveis, como fazem os milagreiros modernos. Seus milagres eram vistos sendo feitos na frente de todos. As mais cruéis e notáveis enfermidades foram curadas sem nenhum esforço do Filho de Deus. A natureza obedecia à sua palavra; a saúde era restabelecida como um todo, e não apenas partes, como fazem os imitadores modernos dos apóstolos.


A falsa religião enfatiza a lei acima do amor. Porém Jesus ensina que não pode haver cumprimento da lei sem amor. Muitas pessoas estão enganadas em suas religiões, por pensarem que Deus se agrada do cumprimento da lei como letra apenas.


Digna de nota também é a atitude de Jesus, não se negando a tomar refeições nos meios que lhe eram adversários, para ter ocasião de provar aos seus opositores a verdade da sua palavra.


A parte que me emociona em tudo isso é a que imagino aquele homem hidrópico, como tudo em sua vida era uma dificuldade, os problemas que devia estar passando, pensei em seus movimentos, deviam ser muito dificultosos, oh meu Deus quantos problemas!


Realizar uma cura no sábado para Jesus não era nenhum problema. Jesus não curou aquele homem para provar nada para os fariseus, Ele não tem que provar nada para ninguém, Jesus curou aquele homem por que se compadeceu, por que o amou.

8 comentários:

***Adriana Rocha*** disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Missionária Bella Dourado disse...

O evangelho é simples as pessoas é que são tendenciosa complicam e distorcem de acordo com a sua comodidade.

bjs.

Eduardo Medeiros disse...

jesus por diversas vezes teve que mostrar o verdadeiro sentido da lei e quando se deparava com as inúmeras tradições que se penduraram na lei ele disse: "eu porém vos digo..." jesus nunca poderia ser bem quisto pela elite religiosa do seu tempo por causa disso.

***Adriana Rocha*** disse...

Edu, pensa comigo: Jesus não é bem quisto pela elite religiosa do NOSSO tempo ainda por causa disso.

Valeu a visita, adorei!

Non Nattus Júnior disse...

Olá amicíssima,Adriana!

Como diz Oscar Wilde : " Se Cristo viessem ao mundo hoje,seria crucificado pelos cristãos." Seus textos sempre tem sido no sentido de nos revelar o farisaísmo com tomou conta da boa parte da fé evangélica.Obrigado pelo alerta de seus textos.

Deus te abençõe graciosamente.

***Adriana Rocha*** disse...

Meu amigo Non Nattus, coisa mais gostosa sua visita no meu blog acho que isso de revelar o farisaísmo se dá exatamente pelo fato de expor Jesus. Sou completamente apaixonada por esse Homem e só quero honrá-Lo o reto são só máscaras que caem. Não odeio os fariseus mas abomino o farisaísmo... Sou de outra tribo. Beijo no coração...

Lucy Araujo "Fruto do Espírito" disse...

Querida Adriana.

Realmente, o Evangelho é simples e descomplicado.
Excelente texto!
Feliz por novamente estar no seu espaço.

Ósculo Santo!

Lucy Araújo.

***Adriana Rocha*** disse...

E eu feliz por passar por aqui...

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Walgreens Printable Coupons